Últimas Notícias
recent

Netflix: Altered Carbon - Crítica sem Spoiler



Olá, Olá Nerds, Assistimos a nova série da Netflix, Altered Carbon, que estreará dia 02 de fevereiro!

Este Thriller Noir é baseado no livro homônimo escrito por Richard Morgan, criada por Laeta Kalogridis (roteirista de Exterminador do Futuro: Gênesis e Alexandre) e produzida pela Netflix.

Altered Carbon tem uma temática cyberpunk, ambientada em um universo onde as pessoas não precisam mais morrer se não quiserem. Elas podem, através de uma espécie de HD, armazenar suas memórias, suas lembranças, seu conhecimento, basicamente "sua vida" e transferi-la para outro corpo.



A série conta a história de uma investigação de assassinato do multimilionário Laurens Bancroft liderada por Takeshi Kovacs, que é uma espécie de super soldado que foi "morto" e "reencapado".

Nesta crítica vou fazer diferente, ao invés de falar sobre roteiro, fotografia, trilha sonora e etc, vou fazer apenas dois tópicos: Pontos positivos e pontos negativos. Dito isso, vamos aos pontos positivos:

A ambientação cyberpunk, os cenários, as luzes, posição das câmeras a sensação real de estar olhando o futuro. A série foi filmada em 4K, quem tem essa tecnologia, vai desfrutar de imagens perfeitas, e ter uma grande experiência visual. A temática e o pano de fundo são excelentes, propõem uma discussão filosófica ímpar! Afinal, podemos mudar de corpo? Se mudarmos de corpo, seremos nós mesmos? Como fica a questão religiosa? Entre várias outras questões, que poderiam deixar a série riquíssima. A trama investigativa está bem fechada, as cenas, inclusive as picantes estão bem feitas, claramente a série será, pelo menos, +14, tem uma cena de tortura que e extremamente interessante, não só pelo conceito científico, mas também pelos conceitos filosóficos inseridos ali e pela filmagem bem feita.



Pontos negativos:

Alguns furos de roteiro que me deixaram bem incomodado, vou revelar um, só para não dizer que faço sempre o mesmo discurso. Na série, esta é a primeira vez que Takeshi Kovacs troca seu corpo, constantemente ele deixa a entender que tem alguma dificuldade de se adaptar a sua nova capa entretanto, em momento algum ele demonstrou realmente essa dificuldade, a impressão que dava é que ele sempre foi daquele jeito, ou que ele não teve problemas para se adaptar.
As questões filosóficas não foram trabalhadas de maneira adequada, todas as abordagens são extremamente superficiais, a série poderia ter feito "cabeças explodirem" mas preferiu se concentrar apenas na parte investigativa, deixando de lado a capacidade de raciocínio do público.

Tenho que confessar que quando vi que a criação e roteiro era de Laeta Kalogridis, torci o nariz e fiquei preocupado, pois ela tem uma irregularidade que beira a uma senoide, capaz de escrever excelentes roteiros como fez em A Ilha do Medo e de coisas tenebrosas como Alexandre e a série da "Mulher Gato" (Birds of Pray).



Infelizmente meus medos e tornaram realidade em Altered Carbon, por mais que a trama investigativa esteja bem fechada, o roteiro é arrastado e a motivação do protagonista só se sustenta até o segundo episódio, após isso o que ele tem é uma desculpa, senão a série acabaria ali. A trama é cheia de sub investigações desnecessárias. Do nada a série muda de foco e você fica pensando, o que eu perdi? Claro, que posteriormente as coisas se ligam, mas essa mudança abrupta no foco da investigação dá uma sensação muito estranha, muitas vezes voltei episódio para entender o que eu havia perdido e não encontrava nada. O universo de Altered Carbon foi simplesmente jogado na nossa cara, não há maiores explicações, se contente com o que vê, não pergunte muito.

Mas não vou colocar todos esses pontos negativos na conta de Laeta, esses são problemas que também estão presentes no livro. Richard Morgan deveria fazer algumas aulas com Orson Scott Card...



Os personagens não possuem qualquer carisma, todos eles são facilmente e plenamente substituíveis, mesmo o protagonista, Takeshi Covacs é torturante. No primeiro episódio ele é vendido de uma maneira que não se sustenta no decorrer da série. Os atores que interpretaram Takeshi até são bons, tratam-se de Joel Kinnaman (o Rick Flag de Esquadrão Suicida) e Will Yun Lee, que interpretou Kenuichio Harada (Samurai de Prata) em Wolverine: Imortal, mas o roteiro não os ajuda.

Joel Kinnaman

Will Yun Lee

Caso faça sucesso, talvez possamos ver as continuações Broken Angels e Woken Furies, todas protagonizadas por Takeshi Kovacs.

se o Debate Nerd recomenda? Não... se quiser assistir, assista, mas é por sua conta e risco.


Raphael

Raphael

Sou marido, pai, filho, pensador, psicologo (não por formação, mas por maioria de votos), NERD (e tenho orgulho disso), curto animes, mangás, HQs, séries, filmes, livros, vídeo-games, enfim, Nerd com "N" maiúsculo, curto heavy metal, power metal, metal progressivo. Sou cristão protestante e fé é questão de foro íntimo, respeite isso. Meus blogs são: vossavateologia.blogspot.com.br www.debatenerd.com.br

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Tecnologia do Blogger.