Últimas Notícias
recent

Tokyo Ghoul (Live Action) "Crítica com Spoilers"

Por: Hélder Miranda- Os ghouls acabam de marcar presença no mundo do cinema, e a história do meio ghoul, aquele que pode transitar entre os dois diversos caminhos, contém vários detalhes interessantes e que merecem ser destacados aqui, como de costume, irei pontuar todos os momentos positivos, é é claro, os negativos também, caso o longa seja uma verdadeira obra de arte, ou termine sendo, só aquele tipo de filme que... "Não vejo a hora disso acabar" (olhando por esses pontos de vistas, algumas pessoas ficaram felizes, enquanto outras... vocês sabem, xingamentos e tal). Pra quem não conhece nada do enredo, darei alguns toques, certo? Lá vai. Tokyo Ghoul conta os eventos, da vida do jovem (Ken Kaneki), um humano que tem seus dias felizes interrompidos, depois de conhecer uma bela moça, os Ghouls (seres que parecem humanos, mas que na verdade, estão constantemente atacando boa parte da população da cidade de Tóquio), vivem entre todos... basicamente é isto, sem mais delongas então, vamos parar de enrolação e começar logo as análises desta crítica, sendo assim, bora lá.

Quando se fala em um live action... ou melhor, em um bom live action, a maioria das pessoas (Não sou exceção), cita logo de cara, o longa que adapta para as telas, a história de "Kenshin", (anime conhecido aqui no Brasil, como Samurai X). Bom, e é com tamanha felicidade, que venho informar... o live action de Tokyo Ghoul funciona (melhor ainda... funcionou), o novo formato, pode ser agora, um dos citados no quesito de boa adaptação, pois na proposta apresentada pelos produtores, os nossos irmãos conseguiram entregar a mensagem certa. Entre vários pontos que me fizeram se apegar ao filme, vou começar com o mais simples... "sem pressa nenhuma para contar a história", com toda certeza, esse foi um dos fatores que me fez olhar e dizer (caramba, pode dar certo), o enredo da adaptação fica muito bem contido, é nítido, o quanto de confiança a equipe técnica tem sobre o projeto, para nós, a facilidade em perceber qual era a mensagem sendo transmitida, também ficou clara, então no todo, mesmo que vocês acabem sentindo falta de alguns personagens (normal, até porquê aconteceu comigo, queria muito ter visto alguns em particular), vamos ter que torcer por mais, apenas isso.

Focando agora nas atuações (eita Hélder, já sabemos que vem bomba), interessante, porquê desta vez não, calma, irei dar os maiores detalhes. Por mais que tenha no longa vários personagens conhecidos da obra, quero dar maior destaque ao ator que interpreta Kaneki, motivo? Ele definitivamente é o próprio Kaneki dos cinemas (pow Hélder, mas é claro, ele está fazendo o papel do protagonista), sim, sim e sim, mas eu realmente quero aprofundar essa ideia, pois, da mesma forma que o Kaneki irrita no anime (até se tornar o que conhecemos), o nosso querido protagonista do cinema, acaba fazendo o mesmo, só que de uma maneira especial. O ator entra em ação e nos mostra sua versão fiel mais sem precisar ser tosca (esse é o melhor detalhe), sempre que alguém cita o trabalho de atores japoneses, a interpretação é fortemente criticada (negativamente), no entanto, o jovem "Masataka Kubota", prova que... reformulando, a maioria dos atores, provam que não necessariamente, pra fazer um bom papel, de um personagem de anime, as faces caricatas precisam se sobressair, (Mado) é o grande exemplo disso tudo, se muitos o odiavam no anime, garanto que vão odiá-lo neste filme também, mas se porventura, alguém acabou gostando do seu jeito, tipo a forma que ele é trabalhado na obra, também garanto que ficaram felizes pelo que é apresentado. Cenas bem particulares, chamam atenção por mostrarem um nível de clareza incrível, mesmo não tendo o orçamento que outras produções tem como privilégio.

Ainda falando um pouco mais, sobre certas cenas particulares, se eu tivesse que apontar o melhor elemento utilizado no longa, seria a forma de apresentar o mundo dos Ghouls (Não entenderam?? Calma). Quando Kaneki passa a fazer parte da sociedade dos Ghouls, todos os detalhes entre mostrar ele tentando... exemplos (comer, se controlar), tudo isso, acaba sendo muito bem explorado, e o uso da câmera nesses momentos citados, foram simplesmente formidáveis, por mais besta que pareça ser (o que não é). Este pequeno ponto, foi o bastante para entregar a identidade do longa, e o caminho certo, que a produção deveria seguir. Em relação aos efeitos, sinceramente, houve poucos instantes do qual eles ficaram mal resolvidos, na maioria das vezes, os confrontos foram bem trabalhados sobre as Kagunes, as coreografias das lutas eram simples mais eficazes, então no todo, mesmo sem a grande perfeição, posso concluir que pelo menos o mínimo, eles entregaram.

Anime versos Filme, eis a questão?? Na verdade a resposta é óbvia, a pergunta que deveria ser feita é... Foi uma boa adaptação? os personagens cativaram? a trama se concluiu bem?? Sim, sim e sim, no meu ver, realmente o live action de Tokyo Ghoul, conseguiu me agradar bastante, nos critérios dos longas japoneses, não há do que reclamar, acredito que o único ponto individual a fazer falta, foi não ter tido o uso da criatividade por parte da direção, nisso o projeto pecou sem misericórdia. Caso vocês não tenham conferido, mas ficaram interessados, terá um link logo abaixo, sendo assim, até a próxima.

Antes que eu me esqueça, a nota do filme de zero a cinco é..... ( 00/04 ) Quatro...

Link:
https://www.animesdrive.com/tokyo-ghoul-2017-legendado/

Hélder Miranda

Hélder Miranda

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Tecnologia do Blogger.