Últimas Notícias
recent

Netflix: Raio Negro - Uma crítica social contundente e atemporal - Critica com Spoiler


Olá, Olá Nerds! Ontem foi exibido o ultimo episódio da série Raio Negro, em parceria da CW com a Netflix. Muitas críticas (positivas e negativas) foram feitas no início mas, agora, com o final da primeira temporada, entendo que seja necessária uma análise da obra completa, então já deixem o alerta de Spoiler ligado e acompanhem esta crítica.



Por 13 episódios pudemos acompanhar a história da família Pierce e adaptação a grandes mudanças causadas pela atitude de Jefferson (o chefe da família) de voltar a ser o lendário herói Raio Negro.

A série produzida por Robert West trás uma excelente crítica social, diferentemente da maior parte das séries de heróis (principalmente as da DC), Raio Negro lidou incansavelmente com questões sociais como o racismo sistêmico, crime organizado, tráfico de drogas e corrupção nos órgãos governamentais, por isso gerou até uma comparação com Luke Cage, mas garanto, a série da DC desenvolve bem melhor essas questões.



Frequentemente Jefferson Pierce exprime frases de motivação, incentivando os jovens a fazerem o melhor possível com suas vidas e, embora não seja uma quebra da quarta parede, suas falas podem e devem incentivar os adolescentes e jovens a viverem da melhor maneira possível.

Uma das melhores cenas ocorre no ultimo episódio, onde um pai aflito de um viciado em luz verde desabafa, jogando a responsabilidade sobre o governo: "Eles colocaram a cocaína nas mãos dos negros, deram heroína aos brancos e deram Luz Verde..."



Mas falando um pouco sobre a série em si,

A trama gira em torno de Jefferson Pierce, um diretor de escola que luta (não no sentido literal) contra os problemas da sociedade, buscando tirar jovens da criminalidade e das drogas, através da educação e dos bons valores. Pierce foi o lendário Raio Negro, mas se aposentou da função de super-herói para se dedicar a família e à escola onde fez carreira. Entretanto, ele se vê obrigado a usar novamente o traje quando suas filhas são sequestradas pela Gangue 100 e quando ele descobre sobre o retorno do vilão Tobias Whale, a pessoa que matou seu pai.

Durante a série, vamos descobrindo que todo esse "ecossistema" é pano de fundo para ação de uma entidade governamental chamada ASA que está fazendo experiências ilegais com a população com uma droga chamada Luz Verde, que é extremamente nociva, mas pode conferir poderes especiais a algumas pessoas.


Aqui, vamos falar um pouco do roteiro, pois há alguns furos que considerei grave. O Primeiro é porque não ficou claro o que precisa para a Luz Verde ser efetiva e conferir poderes às pessoas, o que sabemos é que o Raio Negro é uma das vítimas dessa experiência e é um "espécime" estável e que é necessário seu DNA para estabilizar os demais. Entretanto como a operação ilegal foi desfeita, não teremos resposta para isso. Outro furo é sobre o paradeiro dos humanos (agora meta-humanos) que foram usados como cobaia. Sabemos que durante a série, eles estão presos em estado de animação suspensa, entretanto, depois que a operação foi destruída, não há qualquer menção sobre eles.  O que aconteceu? Tem outros, mas não interferem na diversão e na reflexão. A série tem problemas, mas no geral ela é muito boa.

A família principal e o vilão principal foram extremamente bem desenvolvidos, você consegue entender porque Jefferson deixou de ser o Raio Negro, sentir empatia pelo fato de Jennifer Pierce (a filha mais nova) não querer o legado do pai, você entende as motivações de Tobias Whale, que era frequentemente humilhado pelo próprio pai, pelo simples fator de ser albino. Mas tem personagens que poderiam ter um desenvolvimento melhor, por exemplo Lady Eve e Lala. Eu sinceramente, gostei mais do protagonista agindo sem o traje do que vestido como o herói. Jefferson Pierce pode se parecer muito com qualquer um de nós, com o aditivo de que ele trabalha ativamente para livrar as pessoas do crime e melhorar a vida da comunidade. Não que o Raio Negro não seja legal, ele é, mas Pierce é mais inspirador do que seu alter ego.



O uniforme do herói só é bom na fotografia, durante a série ele lembra mais uma alegoria carnavalesca. Os raios acesos no traje ficaram bem feios na prática, da a impressão são fitas de LED coladas no interior da roupa (e na verdade é mesmo), o CGI também é bem ruim entretanto, os trajes de Tormenta (a filha mais velha Anissa Pierce) ficaram excelentes.



A coreografia também não é das melhores, pois Cress Williams, o ator que interpreta o herói já tem 47 anos, não é nenhum menino, mas ainda assim, tem boas cenas de ação.
As interpretações também estão excelentes, eles conseguiram acertar na dramaticidade e convencer em seus respectivos papeis. Destaque para Cress Williams, o Raio Negro e Marvin "Krondon" Jones III que interpretam Tobias Whale

Cress Williams

Marvin "Krondon" Jones III
Por todos os motivos citados acima Raio Negro é uma das melhores séries de super-herói, tem drama e ação nas medidas certas, e tem pontos de reflexão realmente interessantes e vale a pena conferir. A segunda temporada já foi confirmada e parece que teremos a inclusão de Rajada (o nome de heroína de Jennifer Pierce) Além disso, ja sabemos que existem outros heróis no universo de Raio Negro, como Supergirl e Vixen, será que pinta um crossover?

Se o Debate Nerd recomenda? Sim, assistam e comprovem!


Raphael

Raphael

Sou marido, pai, filho, pensador, psicologo (não por formação, mas por maioria de votos), NERD (e tenho orgulho disso), curto animes, mangás, HQs, séries, filmes, livros, vídeo-games, enfim, Nerd com "N" maiúsculo, curto heavy metal, power metal, metal progressivo. Sou cristão protestante e fé é questão de foro íntimo, respeite isso. Meus blogs são: vossavateologia.blogspot.com.br www.debatenerd.com.br

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Tecnologia do Blogger.