Últimas Notícias
recent

Bleach Live Action "Crítica" (O live action que precisa que os próximos live actions bebam de sua fonte)

Por: Hélder Miranda- Nesses últimos meses, "Bleach" voltou a ser assunto comentado entre os fãs, e o porque de tal coisa, acaba sendo por algo bem simples, a obra criada pelo sensei "Tite Kubo," recebeu o anúncio de preparação para um live action (filme com atores reais... caso alguém não saiba) até aí, tudo certo, mas, será que um anime de grandes proporções, se sairia ok nas telonas?? Como fã, serei sincero ao dizer que o medo bateu (acredito que pra muitos foi a mesma coisa) só quê... O longa disponibilizado pelo serviço de streaming (Netflix) chegou, e já mostrou que os fãs não precisam se preocupar (pelo menos, não num todo). Dito isto, vamos parar de enrolação e começar de vez as análises da Crítica, sem mais delongas então, bora lá.

Vamos começar falando do enredo da produção... Bom, quanto a este detalhe, diria que ele é um dos pequenos erros criativos do diretor (falarei bastante sobre o chefão). Antes que alguém argumente sobre minha citação inicial, tentarei explicar de uma outra maneira. Como muitos devem ter percebido, a visão dos produtores ficou bem nítida no andamento do filme, inicialmente, os eventos da história, seguem como base, as mesmas escolhas feitas pelo criador original (Tite Kubo) no entanto, perto do meio, algumas mudanças já podem ser avistadas (nada fora do comum) elas abordam a chegada de Renji e de seu capitão (Byakuya). Ao meu ver, a direção quis explorar o tempo de tela de ambos os personagens, concedendo uma participação bem mais longa, só que o problema disto, é que o "presente" fornecido aos atores, não adiantou de muita coisa, justamente por ter faltado questões originais para enriquecer a história (exemplo... Eles fazem um acordo com Ichigo, mas após a conversa, levantam uma outra opção pelas costas do personagem, deixando a utilidade da cena, bem meia boca, e sem grande serventia) pode parecer chatice e tantas outras coisas, mas o certo a se dizer, é que o roteiro especificamente nesta cena, ficou mal escrito. Em outras palavras meus amigos... O enredo do longa se mostra mal construído até o terceiro ato (não confundam mal construído, com ruim total) pois mesmo sendo feito da forma que foi apresentado, ainda sim, pode-se dizer, que é um roteiro firme. Particularmente falando, acho que a melhor escolha, sereia se o diretor tivesse optado pelos eventos originais do mangá/anime, e olhem que não falo isso, por querer um live action fiel ao original (com certeza não) caso a obra apresente falhas ou questões duvidosas, sou totalmente a favor por uma melhora significativa (mas que também não destrua a premissa geral). Só nos acontecimentos básicos do anime, a produção poderia ter trabalhado no primeiro ato (basicamente, o que foi mostrado no filme) no entanto, ao chegar na segunda parte do longa, as coisas poderiam ter sido bem diferentes, como por exemplo... Destacar o treinamento sério de Ichigo, para se tornar um Shinigami de respeito, logo após tal coisa, a luta entre Shinigamis, já poderia ser introduzida (não com Renji e Byakuya, mas sim, com o primeiro que é mandado para investigar a localização de Rukia) por fim, mostrar mais detalhadamente o drama de Ichigo (que ficou bem esquecível) sua raiva pela morte de sua mãe, não foi algo que impactou quando ele buscou vingança.

Mas uma vez, é a interação entre esses dois que que salva a premissa Inicial da história, Ichigo e Rukia são de fato, os personagens que mais apresentam carisma enquanto estão juntos (dupla dinâmica). Mesmo ainda não curtindo o visual da atriz (que fez um trabalho... ok, sem grandes problemas) devo dizer, que a caracterização da mesma, não foi algo que me incomodou, sinceramente, acho que o cabelo curto poderia ter entrado no corte final do filme, mas infelizmente, nem tudo é como queremos (caso ninguém saiba... Rukia é a minha personagem feminina preferida de todos os animes, então entendam o meu gosto particular, por favor) ainda sim, bem que eles poderiam ter deixado só curto, apenas isso e nada mais.

A ação e os efeitos especiais são outro acerto da produção (bom, os efeitos estão ok na medida do possível). A primeira luta de Ichigo contra um Hollow, até da pra passar, mas as outras apresentadas (2) acabam sendo bem mal resolvidas, principalmente na coreografia. Por outro lado, a coreografia na hora de introduzir um confronto contra Renji, meus amigos... O que faltou nos dois primeiros atos, foram entregues com juros neste terceiro (caramba) simplesmente sensacional, inclusive, houve inovação e uma baita criatividade (direção) na hora de mostrar a "Shikai" (épico).

Sem palavras... O pouco tempo que este capitão teve para demonstrar o seu poder (quero continuação caramba). Imaginem só, um filme inteiro, apenas com lutas entre Shinigamis (e também com alguns agregados) simplesmente perfeito.

As atuações num todo, provaram que pra fazer uma adaptação de anime, não necessariamente, precisa-se ter, caras e bocas como foco principal, até porque japoneses (irmãos) isso nem é tão raiz como vocês pensam, no entanto, alguns exageros ainda são feitos aqui e ali, nada absurdo ou constante (mas tem).

Pontos especiais... isshin foi o melhor ator (pareceu que a produção esqueceu de avisar que era um live action) as melhores cenas em termos de atuação, são quando o personagem se faz presente. Ichigo é Sota fukushi... Espera, Sota fukushi é o Ichigo (ficou bem bacana). Urahara ficou a desejar, e Ishida tomou o seu papel (sendo o sabe tudo do filme).

Caso alguma coisa esteja faltando, possivelmente, é porque não chamou tanta atenção, ou não teve muita relevância na trama. E é por essas e outras que a nota de Bleach éééé ( 00/03 ) BOM... Vale dizer, que a toda é de zero a cinco, beleza?? Certo. Quem ainda não conferiu na netflix, corra, pois vale muito à pena (ansioso por uma continuação).







Hélder Miranda

Hélder Miranda

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Tecnologia do Blogger.