Últimas Notícias
recent

Island (Que final doido e legal ao mesmo tempo)

Por: Hélder Miranda- Com o fim do mês de setembro, alguns animes da atual temporada, começam a se despedir, e hoje falarei um pouco sobre o último episódio de um deles"Island" mas precisamente, sobre sua reta final. Caso alguém esteja caindo de paraquedas nesta postagem, a obra apresenta pontos focados nos gêneros mistério e sci-fi, sendo assim, que fique registrado o seguinte aviso... Se não gostam, pulem fora, se gostam, aproveitem (ou apenas leiam e sosseguem). A premissa inicial, mostra a chegada de um jovem, na ilha isolada onde é o palco de toda a aventura, sem memórias, o rapaz diz ter vindo diretamente do futuro, daí em diante, toda a história começa a se desenrolar. Dito isto, vamos parar de enrolação e começar as análises da obra, sem mais delongas então, bora lá.

Primeiro de tudo, é um anime que recomendo?? Pra ser bem sincero, acredito que está decisão irá variar bastante (entre algumas pessoas) principalmente, pelo fato de envolver certas questões específicas, como por exemplo, o uso do elemento mistério científico (junção) para aqueles que realmente gostam e possuem uma calma santa, pode valer à pena conferir o projeto, no entanto, é possível que muitos achem o desenvolvimento do enredo um pouco arrastado (eu). Somente nos três últimos episódios (três ou quatro) as coisas começaram a acontecer de uma maneira significativa, num todo, o anime parou de focar no desnecessário, e entrou de cabeça no x da questão, trazendo um plot twist que dificilmente alguém esperava (particularmente falando, fui pego totalmente de surpresa).

Nem preciso avisar que terá spoilers do final da obra, né?? (vai ter).

Depois de ter viajado no tempo para salvar a heroína principal, o protagonista começa a encontrar alguns pontos estranhos na história (sim, ela morreu e ele teve que concertar tudo). Ao ver uma fotografia de família, o mesmo percebe, a semelhança que há entre o amor do seu passado, com a mãe da garota que ele salvou, então é aí, que finalmente todas as peças começam a se encaixar. Sacadas rápidas para que todos possam entender... Ele é o pai da heroína principal, a máquina construída no passado, não era do tempo, e sim uma que faria seu corpo aguentar os vários anos de hibernação, sua amada do passado, fez outra para ela conseguir encontra-lo no futuro, porém, acabou acordando de seu sono mais cedo, e... Acho que é isso.

Caso alguns de vocês estejam pensando na seguinte pergunta... Mas porque a mãe da heroína principal não revelou ao protagonista qual era a sua verdadeira identidade?? Bom, sobre isso, a personagem decidiu deixar pra lá, porque viu o quanto ele gostava de sua filha (também filha dele) e porque o mesmo terminou não se lembrando dela (sei que é meio exagerado, mas fazer o quê né).

É bem possível que muitos de vocês, fiquem sem entender algumas coisas citadas nesta postagem, na verdade, pode ser, que apenas os que acompanharam a obra por inteiro, compreendam o que estou tentando esclarecer aqui, no entanto, até os que estão por dentro de tudo, deverão achar pequenas dificuldades na explicação.

No geral, meu desabafo positivo foca em mostrar o quão surpreso fiquei, ao ver que no fim da série, o protagonista terminou com a mãe da heroína principal, que na verdade, era a sua amada esse tempo todo. O mais legal disso tudo, é que agora, não da pra simplesmente olhar e ver a obra da mesma forma, só em pensar, que uma personagem sorrateira, sempre esteve ali como algo maior... Caramba, ainda não consigo acreditar neste tremendo twist. Vale dizer, que o roteiro não define todas as questões abertas da obra (mesmo no final) ou pelo menos, está foi a minha visão a respeito dos pontos apresentados aqui e ali.


Mesmo se arrastando por toda a história, Island conseguiu terminar de uma maneira absurdamente surpreendente (deve ser por isso, que a surpresa foi maior). Felizmente, o fechamento arrancou de mim, um sorrisão muito sincero, algo que não achava ser possível, fazendo assim, com que uma frase se manifestasse (e num é que foi interessante). Antes que a memória falhe... Houve até casamento.

É isso pessoal, se gostaram da Review e querem ver outras aqui mesmo no Debate, basta conferir nas nossas listas , dito isto, até a próxima.


Hélder Miranda

Hélder Miranda

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Tecnologia do Blogger.