Últimas Notícias
recent

Debate Nerd Ciência #11 - O Multiverso!

Olá, Olá Nerds!

Fãs de histórias em quadrinhos sempre nos deparamos com a questão dos universos paralelos, será que existe alguém igual a mim em um outro universo? quantas versões de mim será que existem? Será que existem universos paralelos? De onde vem essa ideia? Tentaremos responder a essas perguntas nesse texto.

No Debate Nerd Ciência de hoje falaremos sobre o Multiverso!



Embora esta não seja uma teoria amplamente aceita e muitos sequer a consideram como científica, a teoria da existência de universos paralelos povoa o pensamento de muitos e mexeu com a imaginação de cineastas, quadrinistas, mangakas e muitos outros artistas da imaginação.

A teoria do multiverso se apoia na cosmologia moderna e na mecânica quântica e, embora não tenha comprovação, isto é, é puramente ideológica, é defendida por diversos cientistas.


As teorias mais famosas sobre o Multiverso

  • A IMM

A mais famosa é a IMM (interpretação de muitos mundos) formulada por Hugh Everet. Essa teoria é uma interpretação da mecânica quântica que diz o seguinte: Quando tomamos uma decisão, dois universos surgem, nós fazemos parte daquele cuja as decisões causaram nossa existência ou, em termos científicos, toda vez que há um colapso da função de onda de um estado emaranhado, surgem dois universos independentes e isolados. Trocando em miúdos, toda vez que pensamos e tomamos uma decisão, surge um novo universo, um com uma decisão tomada, outro com a outra. Logo, existem infinitos universos paralelos.

Essa teoria surge devido a uma lacuna deixada pela "Interpretação de Copenhague", desenvolvida por Heisenberg que diz que um fenômeno não observado pode existir em estado duplo, ou seja, pode estar em dois lugares ao mesmo tempo. Isso ocorre porque, segundo eles, "os objetos quânticos são complementares, partículas-ondas e devem ser interpretados probabilisticamente".1



  • A Teoria das Cordas



A teoria das cordas, formulada por Michio Kaku, diz que os blocos fundamentais (aquilo que forma os átomos) não são pontos sem dimensão, mas sim objetos extensos unidimensionais, ou seja, não são partículas subatômicas, mas sim cordas! Eles citam como exemplo o Eletron, que tem uma órbita ao redor do núcleo (logo não pode dizer que ele está em um ponto) e que pode trocar de orbita sem passar pelo espaço vazio entre elas (como se a terra fosse para a orbita de Marte, mas sem passar pelo espaço entre as orbitas).
Entretanto a teoria das cordas não é sobre a órbita eletrônica, mas sim sobre partículas muito menores como os Quarks, segundo os defensores dessa teoria, os Quarks não são formados por partículas menores, mas por cordas em plena vibração, vibrações diferentes formam partículas diferentes.

Mas o que isso tem a ver com o Multiverso?

Bom, pra que a teoria das cordas funcione de fato, é necessário que existam pelo menos 10 dimensões de espaço e 1 temporal (a Teoria Bosônica das Cordas calcula que haja 26), estas dimensões definem todas as leis da física e não podem ser vistas por serem extremamente pequenas e podem ter 10^500 formatos possíveis.

- Mas como assim? existem 10 universos diferentes?
- Não!!
- Mas então como é?

Alan Guth, em seus estudos sobre a constante de expansão do universo (que é 10^-123), descobriu que de acordo com a Teoria Quântica dos Campos, há a possibilidade de um falso vácuo, que atua de forma contrária a gravidade, fazendo com que o universo se expandisse em seus primeiros momentos, processo que ficou conhecido como inflação, que teve fim momentos depois do inicio do evento. Porém devido a energia escura, a expansão do universo continuou. Além disso foi descoberto que a matemática da inflação mostrava que, na verdade, esta inflação nunca termina. Mas como um evento que terminou momentos após seu inicio pode nunca terminar? Daí entra a teoria do multiverso, que analisa que, essas inflações são resultados de outros Big Bangs.

O universo é considerado infinito nas três dimensões observáveis (comprimento, altura e largura), mas é finito em uma quarta (ou quinta, já que a quarta é o tempo) e dentro dessa dimensão pode haver outros universos, uma infinidade de outros universos tridimensionais ou não, que podem ser conectados entre si através de Buracos de Minhoca.

Há uma vertente dentro da teoria das cordas que diz que o universo é finito, é a chamada Teoria das Bolhas. Nesta teoria o universo se dobrou devido gravidade do espaço-tempo e adquiriu formato esférico (por isso o nome Teoria das bolhas). O que separaria o universo do espaço fora dele seria o próprio espaço-tempo.

Se a teoria do multiverso estiver correta, explicaria o valor da energia escura e quantia de formatos possíveis das dimensões discutidas na teoria das cordas.

Diferentemente da IMM os universos paralelos não são outras versões do nosso, mas sim universos completamente diferentes, ou até parecidos, mas com características próprias, com suas leis, sua física e etc.


  • Teoria M

A Teoria M é a mais complexa de todas, mas basicamente ela é a unificação das 5 teorias das cordas (nesse artigo explicamos apenas a Tipo I), mais a Supersimetria e a Supergravidade. Uma das particularidades é que esta teoria diz que das 11 dimensões, 3 são espaciais, 1 temporal e 7 recurvadas, onde são atribuídas outras propriedades como as cargas elétricas.

Essa teoria surge para resolver o impasse entre a Relatividade e a Mecânica Quantica, que é causada pelas turbulências (Frenesi) que ocorrem nas profundezas das 3 dimensões espaciais que aparentemente são planas e sem rupturas (aparentemente).

A Teoria M busca realizar o sonho de Einstein, que era a uma teoria que explicasse tudo de maneira simples.

A teoria das cordas não levava em consideração a gravidade, apenas as forças Forte, Fraca e eletromagnética, portanto não "conversava" com a Teoria da Relatividade de Einsten.




Pra terminar: A teoria do Multiverso, ou Universos Paralelos é apenas conjectura, sem qualquer comprovação científica. logo, não temos como afirmar que existam outros "eus" ou, se existem outros universos sejam parecidos ou diferentes. Mas são boas teorias que tentam resolver vários enigmas de nosso universo.


Ficamos por aqui, deixem suas críticas, sugestões e elogios aí nos comentários e até quarta que vem no próximo Debate Nerd Ciência!




Referência
1-http://www.artigonal.com/ciencias-artigos/historia-da-mecanica-quantica-6-a-interpretacao-de-copenhague-1807348.html


Raphael

Raphael

Sou marido, pai, filho, pensador, psicologo (não por formação, mas por maioria de votos), NERD (e tenho orgulho disso), curto animes, mangás, HQs, séries, filmes, livros, vídeo-games, enfim, Nerd com "N" maiúsculo, curto heavy metal, power metal, metal progressivo. Sou cristão protestante e fé é questão de foro íntimo, respeite isso. Meus blogs são: vossavateologia.blogspot.com.br www.debatenerd.com.br

4 comentários:

  1. caraca, pera pera minha mente! eaueahuaeh

    ResponderExcluir
  2. A IMM tem falha, Imagine um jogo da mega-sena, escolha seis dezenas, a probabilidade de ganharmos é de 1 em 50.063.860, que corresponde a 0,000002% de chance de ganhar, vai existir mais ou menos 50.063.860 de universos em um jogo para uma pessoa, têm mais variáveis uma pessoa teria que ganhar sempre em um universo, no nosso universo não aconteceu ainda.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Sim, essa é a maior falha, pois a quantidade de universos paralelos se tornaria infinita. Belíssima observação

      Obrigado pelo comentário!

      Excluir

Tecnologia do Blogger.